terça-feira, 27 de junho de 2017

NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO, SOCORREI-NOS


Nossa Senhora do Perpétuo Socorro nasceu de um ícone (pintura de Nossa Senhora) milagroso, que foi roubado de uma Igreja na ilha de Creta, Grécia, no século XV. Trata-se de uma pintura sobre a madeira, em estilo bizantino.

Imagem de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Na pintura, Maria é representada segurando o menino Jesus em seu colo. O menino Jesus observa dois anjos que lhe mostram os elementos de sua paixão; Os anjos seguram uma cruz, uma lança e uma vara com uma esponja. O menino se assusta, abraça a Mãe e uma sandália lhe cai dos pés. Arcanjo Gabriel e Arcanjo Miguel flutuam acima dos ombros de Maria. O ícone seria uma “cópia do quadro de Maria Pintado por São Lucas”.

História de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Nossa Senhora do Perpétuo Socorro é um título que os cristãos deram a Maria em homenagem e agradecimento à sua atenção constante e perpétua para com a humanidade. Perpétuo socorro quer dizer socorro eterno, socorro sempre. Sempre que precisar. Socorro de Mãe. A mãe nunca esquece o filho, nunca abandona os filhos. Assim é o Perpétuo Socorro de Maria.

Um homem que ganhava a vida como comerciante roubou a imagem de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro no século XV. Sua intenção era vendê-la em Roma. Durante a travessia do mar Mediterrâneo, uma violenta tempestade quase fez o navio naufragar. Após chegar em Roma, ele adoeceu. Arrependido, contou a um amigo sua história e pediu para que ele devolvesse o ícone  a uma Igreja para ser venerado pelos fiéis.

A esposa desse amigo não quis devolvê-la, mas, após ficar viúva, Nossa Senhora apareceu a sua filha de seis anos e lhe disse para colocar o quadro de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro em uma Igreja, ou na Igreja de São João Latrão ou na de Santa Maria Maior. No dia 27 de março de 1499 o ícone foi entronizado na Igreja de São Mateus, ficando lá por mais de 300 anos.

Esquecimento e reencontro

Quando Roma foi invadida pelos os franceses, no século XVIII, aconteceu algo muito triste: a Igreja de São Mateus foi destruída. Com isso, os Agostinianos que guardavam a Obra, levaram-na para um lugar oculto. Ali ela permaneceu esquecida, por 30 anos. Mas um monge agostiniano que tinha muita devoção a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, antes de morrer, contou a história da imagem e da devoção a um coroinha, que tempos depois se tornou padre Redentorista. Passado um tempo os Redentoristas compraram uma área para fazer a sua Casa Mãe da congregação e o jovem padre ajudou a reencontrar o ícone.

Redescoberta do ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

No começo de 1866, o Papa Pio IX entregou a guarda da imagem aos Redentoristas. Na ocasião, o papa fez a eles esta recomendação: “Fazei com que todo o mundo conheça esta devoção.” Fizeram então muitas cópias do ícone e a difundiram por todas as partes do mundo.

Devoção a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Depois desta missão recebida do papa, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro passou a ser oficialmente a Padroeira dos Redentoristas. Sua festa é comemorada em 27 de junho. Após a restauração da imagem, ela foi devolvida à Igreja de Santo Afonso. Lá passou a ser venerada pelo povo. O quadro, atualmente, em se tratando de ícone bizantino, é o mais venerado em todo o mundo.

Véu e manto de Maria na cor azul

A cor azul representa o céu e a verdade. O manto e o véu azul em escuro representam a virgindade Nossa Senhora. Este era o traje que identificava as virgens em Israel.

A túnica da Virgem Maria em vermelho escuro

A túnica vermelha Representa a maternidade. As mães da Palestina usavam uma túnica assim para identifica-las como mães. Com isso, o ícone está ensinando que Maria é "Virgem e Mãe". Virgem, por causa do véu azul; Mãe, por causa da túnica vermelha. A túnica em vermelho representa ainda a Paixão de Jesus. A mãe sente e sofre a paixão com seu filho, mas socorre-o em suas angustias. Assim também ela nos socorre.

A estrela no topo do véu

A estrela no topo do véu de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro ensina que Maria é a "Estrela do Mar". O "mar" representa os gentios, ou seja, todos os "não judeus" que se tornaram cristãos. O número deles é tão grande, que é como se formassem um mar. Maria, então, é a estrela que guia os cristãos nas águas do mar da vida, apontando o caminho para seu filho Jesus.

A túnica verde do Menino Jesus

Na história do Cristianismo, o verde é a cor da vida. A túnica verde do Menino Jesus no ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro representa a vitória da vida sobre a morte.

O manto amarelo dourado do Menino Jesus

O amarelo é a cor da luz e da divindade, como o ouro. O manto amarelo dourado do Menino Jesus representa sua divindade.

A expressão do Menino Jesus

O Menino Jesus está olhando para os arcanjos Gabriel (à direita) e Miguel (à esquerda). Estes, lhe apresentam os instrumentos da paixão. Por isso, ele se assusta e busca "socorro" em sua mãe. Esta busca de socorro é representada pelas mãos do Menino Jesus apoiando-se na mão direita de Maria.

As mãos de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

As mãos de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, ao mesmo tempo que dão apoio e segurança ao filho, apontam para ele. Esta representação nos ensina que Maria não quer atenção para si, mas sim para Jesus. Maria sempre leva as pessoas até Jesus. Por isso, toda devoção mariana é cristocêntrica.

As mãos do Menino Jesus

As mãos do Menino Jesus voltadas para baixo sobre as mãos de Maria significam que ele concede à sua Mãe o poder de dispensar graças a todos aqueles que pedirem a ela. Assim como ela protegeu o menino Jesus na terra, agora no céu ela protege e concede graças a todos os que se abrigam sob a sua proteção de mãe.

A expressão de Nossa senhora do Perpétuo Socorro

Ao socorrer seu filho, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro não olha para ele, mas sim para nós, que olhamos para a imagem. Isto tem um significado profundo: Maria olha para nós e aponta com as duas mãos para Jesus, como que dizendo: "Olhem para Jesus e sigam seus ensinamentos".

O semblante de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

O semblante de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro é sereno e pacífico, ensinando que, quem está com Jesus, tem paz. Este semblante também revela a santidade de Maria.

Os olhos de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Os olhos de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro são grandes e olham para quem olha para ela, ensinando que Maria olha para nós e tem o olhar atento para nossas necessidades e problemas. Podemos confiar em seu Perpétuo Socorro, como o próprio Menino Jesus o faz.

A boca pequena de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

A boca pequena de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro simboliza uma característica importante de Maria mencionada nos Evangelhos "Ela guardava tudo em seu coração". Ela é a Virgem do Silêncio, ela fala pouco, mas aponta para Jesus.

O Arcanjo Gabriel

No canto superior direito de quem olha para o quadro vê-se a imagem de São Gabriel Arcanjo. Ele veste túnica vermelha representando a paixão de Jesus e suas asas são verdes, representando a vitória da vida sobre a morte. Ele apresenta a cruz e os cravos a Jesus, segurando-os através da túnica, simbolizando que estes objetos são sagrados. Ele anuncia o sofrimento de Cristo, mas também, sua vitória sobre a morte.

O Arcanjo Miguel

No canto superior esquerdo de quem olha para o quadro vê-se a imagem de São Miguel Arcanjo. Também com cores vermelho e verde, ele anuncia a Paixão e a vitória de Cristo sobre a morte. Ele segura a lança, que perfurará o lado de Cristo e a esponja com vinagre, que lhe será dada antes de sua morte. Ele também segura estes objetos através do manto, mostrando que estes objetos são sagrados.

As letras na imagem de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

A Imagem de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro tem várias letras ou inscrições em Grego. Vamos compreender cada uma delas. No topo da imagem, vemos as letras MP (lado esquerdo) e T" (lado direito). MP são as inicias de ""t"" " Mãe. T" são as iniciais de Te"" - de Deus. Essas letras, portanto, são as iniciais em Grego do título "Mãe de Deus", referindo-se a Nossa Senhora. OAM são as iniciais de " """"""e""" """a"", Miguel Arcanjo. OAG são as iniciais de " """"""e""" Gaß"""", Gabriel Arcanjo IC-XC são as iniciais de ""s""" """st"", Jesus Cristo

O ouro ao fundo

O ouro ao fundo de todo o quadro simboliza o céu, onde Jesus e Maria estão entronizados. O ouro representa também a alegria celeste que espera todos aqueles que recorrerem à Virgem Maria e praticarem aquilo que seu Filho ensinou.

A sandália pendurada no pé direito do Menino Jesus

A sandália pendurada no pé direito do Menino Jesus tem dois significados. O primeiro é que, com o susto do Menino ao ver os Arcanjos anunciando-lhe o sofrimento, ele se volta rapidamente para sua mãe e, assim, uma de suas sandálias fica dependurada. Significa que, diante dos sofrimentos da vida, devemos recorrer apressadamente a Nossa Senhora, pois foi delegado a ela o poder de nos dar "Perpétuo Socorro".

O segundo significado é que a sandália pendurada representa todos aqueles que estão vacilando na fé, presos a Jesus por apenas um fio, que é a devoção a Maria. Assim, estes devem fazer como o Menino Jesus: buscar socorro apressadamente em sua mãe.

Oração a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Ó mãe do Perpétuo Socorro, nós vos suplicamos, com toda a força de nosso coração, amparar a cada um de nós em vosso colo materno, nos momentos de insegurança e sofrimento. Que o vosso olhar esteja sempre atento para não nos deixar cair em tentação.

Que em vosso silêncio aprendamos a aquietar nosso coração e fazer a vontade do Pai. Intercedei junto ao Pai pela paz no mundo e em nossas famílias. Abençoai todos os vossos filhos e filhas enfermos. Iluminai nossos governantes e representantes, para que sejam sempre servidores do povo de Deus.

Concedei-nos ainda muitas e santas vocações religiosas, sacerdotais e missionárias, para a maior difusão do reino de filho Jesus Cristo. Enfim derramai nos corações de vossos filhos e filhas a Vossa Benção de amor e misericórdia.

Sede sempre o nosso Perpétuo Socorro na vida e principalmente na hora da nossa morte. Amém. 


sexta-feira, 23 de junho de 2017

A DEVOÇÃO AO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS - A HISTÓRIA DA DEVOÇÃO, AS PROMESSAS E A CONSAGRAÇÃO


O Coração de Jesus é o foco do amor. A devoção ao Sagrado Coração é a devoção que vem do amor como princípio, que se dirige ao amor como fim, que emprega o amor como meio. Celebrando este grande Amor de Deus por nós, somos convidados a renovar nossa devoção a Jesus, manifestado concretamente na vivência deste amor na família, na Igreja Doméstica, na partilha do pão, na alegria de celebrar em comunidade a Eucaristia, Vida de Jesus entregue por nós.

Celebrar o Coração de Jesus torna-se uma importante ocasião pastoral para que toda a comunidade cristã novamente se sensibilize para fazer deste admirável Sacrifício e Sacramento o coração da própria vida.

Origem da Devoção

A devoção ao Sagrado Coração tem sua origem na própria Sagrada Escritura. O coração é um dos modos para falar do infinito amor de Deus por você. Este amor chega a seu ponto alto com a vinda de Jesus.

A devoção ao Sagrado Coração aparece em dois acontecimentos fortes do evangelho: o gesto de São João, discípulo amado, encostando a sua cabeça em Jesus durante a última ceia (cf. Jo 13,23); e na cruz, onde o soldado abriu o lado de Jesus com uma lança (cf. Jo 19,34). Em um temos o consolo pela dor da véspera de sua morte, e no outro, o sofrimento causado pelos pecados da humanidade. Estes dois exemplos do evangelho nos ajudam a entender o apelo de Jesus, feito em 1675, a Santa Margarida Maria Alacoque:

"Eis este coração que tanto tem amado os homens. Não recebo da maior parte senão ingratidões, desprezos, ultrajes, sacrilégios, indiferenças…
Eis que te peço que a primeira sexta-feira depois da oitava do Santíssimo Sacramento (Corpo de Deus) seja dedicada a uma festa especial para honrar o Meu coração, comungando neste dia e dando-lhe a devida reparação por meio de um ato de desagravo, para reparar as indignidades que recebeu durante o tempo em que esteve exposto sobre os altares.
E prometo-te que o Meu Coração se dilatará para derramar com abundância as influências de Seu divino Amor sobre os que tributem esta divina honra e que procurem que ela lhe seja prestada."

O papa João Paulo II sempre cultivou esta devoção, e a incentivava a todos que desejassem crescer na amizade com Jesus.

O Sagrado Coração de Jesus e Santa Maria de  Alacoque

O Sagrado Coração de Jesus apareceu a Santa Margarida Maria Alacoque, jovem religiosa da Ordem da Visitação, para transmitir sua mensagem de misericórdia e confiança, expressa no coração humano e divino do Verbo Encarnado. O Culto ao Sagrado Coração de Jesus obteve, a partir de então, grande impulso e espalhou-se por toda a Igreja.

Santa Margarida Maria, que recebeu a missão de espalhar pelo mundo a devoção ao Sagrado Coração ofendido pela ingratidão dos homens, foi incompreendida e perseguida, até que a Providência colocou em seu caminho o jesuíta São Cláudio La Colombière, que lhe deu orientação segura e conseguiu fazer com que sua mensagem começasse a ser vista com outros olhos. Canonizada em 1920, sua festa é celebrada no dia 16 de outubro.

Foram três as aparições de Jesus: A primeira, deu-se a 27 de Dezembro de 1673, a segunda em 1674 e, a terceira, em 1675. Mais tarde, outra religiosa, a Beata Maria do Divino Coração, condessa de Droste zu Vischering, a partir de Portugal estendeu a esta devoção a todo o Mundo por meio de um ato de consagração solene pedido ao Papa Leão XIII.

Jesus deixou doze grandes promessas às pessoas que, aproveitando-se da Sua Divina Misericórdia, participassem das comunhões reparadoras das primeiras sextas-feiras. Disse Ele, numa dessas ocasiões a Santa Margarida Maria de Alacoque:

"Prometo-te, pela Minha excessiva misericórdia e pelo amor todo-poderoso do meu Coração, conceder a todos os que comungarem nas primeiras sextas-feiras de nove meses consecutivos, a graça da penitência final; não morrerão em minha inimizade, nem sem receberem os sacramentos, e Meu Divino Coração lhes será seguro refúgio nessa última hora".

Não se sabe quem compôs a lista com as 12 promessas do Sagrado Coração de Jesus, tiradas das revelações de Nosso Senhor a Santa Margarida Maria de Alacoque. Sabe-se só que são fidedignas – as promessas estão de fato contidas nas revelações – e que o trabalho anônimo foi de grande mérito e utilidade.

Promessas do Sagrado Coração de Jesus a Santa Maria de Alacoque



* Eu lhes darei todas as graças necessárias para seu estado.
* Eu darei paz às suas famílias.
* Eu as consolarei em todas as suas aflições.
* Eu lhes serei um refúgio seguro durante a vida, e sobretudo na hora da morte.
* Eu lançarei abundantes bênçãos sobre todas as sua empresas.
* Os pecadores acharão, em meu coração, a fonte e o oceano infinito de misericórdia.
* As almas tíbias tornar-se-ão fervorosas.
* As almas fervorosas se elevarão a uma grande perfeição.
* Eu mesmo abençoarei as casas onde se achar exposta e honrada a imagem do meu coração. 

* Eu darei aos sacerdotes o poder de tocar os corações mais endurecidos.
* As pessoas que propagarem esta devoção terão para sempre seu nome inscrito no meu coração.
* Darei a graça da penitência final e dos últimos sacramentos, aos que comungarem na primeira sexta-feira de nove meses seguidos.

Pensamentos de Santa Margarida Maria

“Nunca desconfieis da misericórdia do Sagrado Coração, que é infinitamente maior que todas as nossas misérias”. 


“O Sagrado Coração quer reinar no coração do mundo inteiro porque todos lhe foram dados por herança”. 


“O maior testemunho de amor que podemos dar ao Sagrado Coração e a melhor reparação que lhe podemos oferecer é unirmo-nos a Ele, muitas vezes, pela comunhão sacramental e desejarmos ardentemente essa união pela comunhão espiritual”. 


“Todos podemos ser apóstolos do Sagrado Coração, porque temos corpos capazes de sofrer e trabalhar, e corações para amar e orar”.
(*Do livro “O Coração de Jesus, segundo a doutrina de santa Margarida Maria Alacoque”)

CONSAGRAÇÃO AO CORAÇÃO DE JESUS

– Eu (diga seu nome), Vos dou e consagro, ó Sagrado Coração de Jesus Cristo, minha vida, minhas ações, penas e sofrimentos,para não querer mais servir-me de nenhuma parte de meu ser, senão para Vos honrar, amar e glorificar.


– É esta a minha vontade irrevogável: ser todo Vosso e tudo fazer por Vosso amor, renunciando de todo o meu coração a tudo quanto Vos possa desagradar.


– Tomo-Vos, pois, ó Sagrado Coração, por único bem de meu amor, protetor de minha vida, segurança de minha salvação, remédio de minha fragilidade e de minha inconstância, reparador de todas as imperfeições de minha vida e meu asilo seguro na hora da morte.


– Sede, o Coração de bondade, minha justificação diante de Deus, Vosso Pai, para que desvie de mim Sua justa cólera.


– Ó Coração de amor, deposito toda a minha confiança em Vós, pois tudo temo de minha malícia e de minha fraqueza, mas tudo espero em Vossa bondade!


– Extingui em mim tudo o que possa desagradar-Vos ou que se oponha à Vossa vontade.


– Seja o Vosso puro amor tão profundamente impresso em meu coração, que jamais possa eu esquecer-Vos nem separar-me de Vós.


– Suplico, por todas as Vossas finezas, que meu nome seja escrito em Vosso Coração, pois quero fazer consistir toda a minha felicidade e toda a minha glória em viver e morrer como Vosso escravo.
Amém.
(Santa Margarida Maria)

Os Papas que recomendaram esta devoção

Papa Pio XII – “Todas as Bênçãos que, do Céu, a Devoção ao Sagrado Coração de Jesus derrama sobre as almas dos Fiéis, purificando-os, trazendo-lhes uma grata consolação celeste e exortando-os a alcançar todas as virtudes, são verdadeiramente inumeráveis.”

Papa Pio XII – “A Igreja teve sempre em tal estima a Devoção ao Sagrado Coração de Jesus, e de tal modo continua a considerá-la, que se empenha totalmente no sentido de a manter florescente em todo o mundo, e de a promover por todos os meios possíveis.”

Papa Leão XIII -  disse que a Devoção ao Sagrado Coração de Jesus era “uma forma por excelência de religiosidade (…) Esta devoção, que recomendamos a todos, será para todos proveitosa.” – “No Sagrado Coração está o símbolo e a imagem expressa do Amor Infinito de Jesus Cristo, que nos leva a retribuir-Lhe esse Amor.”

Papa Pio XII – “O Seu Coração é o sinal natural e o símbolo do Seu Amor sem limites para com a humanidade.”

O Papa São Gregório Magno († 604 AD) disse: “Aprendei do Coração de Deus e nas próprias palavras de Deus, para poderdes aspirar ardentemente às coisas eternas.”

O Papa São Pio X recomendou esta devoção tal como o Papa Pio XI e como, já antes, o fizera o Bem-Aventurado Papa Pio IX.

Os Santos que recomendaram esta devoção

O exemplo dos Santos, ao mesmo tempo que é um poderoso incentivo que nos incita à prática de uma devoção que eles próprios praticaram, é também, para nós, um guia modelar que nos mostra como a devemos praticar.

O espaço de que dispomos não nos permite anotar todos os Santos que promoveram a Devoção ao Sagrado Coração de Jesus, que a viveram e que sentiram o sagrado impulso que dela provinha para amar Jesus mais ardentemente. Recordemos aqui a doutrina e o exemplo dos Santos:

- Santa Margarida Maria de Alacoque foi a primeira pessoa a quem Jesus revelou o Seu Sagrado Coração (por meio de diversas aparições) e foi a primeira responsável pela divulgação do Seu culto e devoção ao Mundo.

- Santa Gertrudes, a Grande (1256-1302), compôs esta Oração expressando o seu Amor: "Eu Vos saúdo, ó Sagrado Coração de Jesus, Fonte viva e vivificante de Vida Eterna, Tesouro infinito da Divindade, Fornalha Ardente do Amor de Deus…".

- Santa Catarina de Siena elevou até um grau extraordinário o Amor que dedicou a esta Devoção (ao Sagrado Coração de Jesus): ofereceu o coração todo inteiro ao seu Divino Esposo, tendo obtido em troca o próprio Coração de Jesus.

- A Beata Maria do Divino Coração, condessa de Droste zu Vischering, foi uma religiosa da Congregação das Irmãs do Bom Pastor que pediu, em nome do próprio Jesus Cristo, ao Papa Leão XIII que ele consagrasse todo o Mundo ao Sagrado Coração de Jesus. Tal facto veio a ocorrer a 11 de Junho de 1899, logo após a publicação da Encíclica Annum Sacrum.

E todos os que leram a vida e a obra de Santos – como São Francisco de Assis, São Tomás de Aquino, Santa Teresa de Ávila, São Boaventura, Santo Inácio de Loyola, São Francisco Xavier, São Filipe de Néri, São Francisco de Sales, São Luís de Gonzaga, Santa Faustina, entre outros – poderão ver a terna devoção, a admiração e a adoração que estes Santos dedicavam ao Sagrado Coração de Jesus.

Fonte: Aleteia

EVANGELHO DO DIA 23 JUNHO 2017